Sempre que o dinheiro estiver envolvido, especialmente com contratos, as coisas podem ficar complicadas. E se acrescentarmos condições voláteis, como a recente pandemia, guerra, crise climática e inflação, as coisas ficam ainda mais difíceis. Essas condições têm sérios efeitos colaterais, sendo um deles a volatilidade da moeda. De acordo com um artigo do DailyFX de 2021, a volatilidade da moeda é “caracterizada por mudanças frequentes e rápidas nas taxas de câmbio e no mercado cambial“. Basicamente, isso significa que o valor da moeda é imprevisível e praticamente impossível de controlar.

Os preços da eletricidade também entram nessa questão. Essa imprevisibilidade é  muitas vezes o motivo para empresas e proprietários de projetos de energia renovável garantirem um contrato de compra de energia ou PPA. No entanto, há sinais de que a volatilidade atual do mercado pode impactar esses contratos ao longo prazo. Por exemplo, um relatório recente da Pexapark destacado na Reuters afirmou que a recente volatilidade dos preços da energia terá um impacto duradouro no mercado de PPA de energia limpa, o que inclui menos contratos de longo prazo.

Mas, apesar da recente volatilidade, os PPAs ainda podem fornecer uma fonte de estabilidade. De acordo com um artigo de Martijn Duvoort da DNV, “os PPAs têm sido uma ferramenta valiosa no financiamento da transição energética até hoje, particularmente nos EUA, América Latina e, recentemente, nos países nórdicos. Com o governo eliminando gradualmente os subsídios e tarifas de transmissão, novos projetos de energia renovável estarão muito mais expostos às flutuações da abertura do mercado. Os PPAs ajudam a mitigar os riscos associados a tais flutuações e se tornarão uma ferramenta ainda mais importante para incentivar o investimento em novos projetos”.

Então, para onde vamos a partir daqui? Vamos começar pelo início.

Contratos de Compra de Energia: Conceitos Básicos

A PPA é um contrato entre um consumidor e uma unidade geradora de energia ou um portfólio da mesma. Existem duas categorias principais de PPAs: PPAs de entrega física e PPAs virtuais (às vezes chamados de PPAs financeiros). A duração habitual do contrato é entre 10 e 20 anos. A negociação do PPA é complexa; requer assessores jurídicos e, ocasionalmente, técnicos, e o tempo normal de negociação é de 3 a 9 meses.

Dado que as redes de energia conectam as unidades de geração com a demanda, um PPA não se limita aos ativos de geração no local; na maioria das vezes, a geração de energia está localizada fora do local, e às vezes nem mesmo dentro da mesma região. O processo de PPA pode começar com projeto de energia totalmente novo que está pronto para ser construído (incluindo a localização, tamanho e conexão com a rede que já está acordada) ou um projeto existente que tem capacidade de geração disponível não comprometida em PPAs anteriores. Para PPAs corporativos, empresas como a Atlas Renewable Energy podem ajudar, especialmente à medida que cresce a necessidade de experiência internacional.

Principais benefícios do PPA

Como um mecanismo que possibilita mudanças positivas, o PPA, em sua essência, visa fornecer segurança de preços da energia elétrica — fixando custos de energia competitivos para o cliente e proporcionando estabilidade no fluxo de caixa para o ativo de geração, o que é fundamental para garantir o financiamento — e é por isso que as garantias são tão cruciais nesses acordos. No entanto, os PPAs também podem ser usados para promover as metas de sustentabilidade de uma corporação, comprometendo-se a comprar apenas energia renovável de projetos de energia renovável que serão construídos e operados com propósitos específicos (um conceito chamado “adicionalidade”). Como resultado, as empresas podem reduzir sua pegada de carbono e fazer parcerias com empresas de geração de energia renovável com fortes e reconhecidas credenciais ambientais, sociais e de governança, beneficiando assim o meio ambiente, as comunidades e outras partes interessadas relacionadas ao projeto de energia renovável.

Além disso, para ajudar a compensar as mudanças em curso, a volatilidade da moeda e as flutuações de preços mencionadas anteriormente, um PPA tem a capacidade de se proteger contra futuros aumentos de preços, permitindo que os proprietários de empresas fechem um preço fixo por unidade de eletricidade durante o período do contrato.

Simplificando o processo de PPA

Quando uma empresa decide que está pronta para se vincular a um PPA, as seguintes etapas podem ajudar a facilitar esse processo:

  • Começar mais cedo em vez de mais tarde. Mesmo com os preços voláteis existentes, os PPAs podem levar vários meses para serem negociados. E, tipicamente, o projeto que se comprometerá a entregar a energia será construído com um propósito específico, o que pode acrescentar mais 1 a 2 anos até a conclusão.  Portanto, é melhor começar agora, caso ocorram ainda mais mudanças que afetem o preço total.
  • Realizar pesquisas sobre o mercado existente na América Latina, políticas estaduais para PPAs nos Estados Unidos e fornecedores disponíveis (especificamente sobre sua reputação e histórico — ver referências!).
  • Contrate um consultor experiente com um histórico estabelecido para orientar o processo, bem como um consultor jurídico qualificado e consultores técnicos e financeiros para a fase de negociação.
  • Esteja preparado para fazer perguntas críticas sobre o PPA relacionado a preços, indexação, garantias de comprador e vendedor, duração, data de início, data de operação comercial e riscos.
  • Envolver as partes interessadas que farão parte do PPA ou que serão potencialmente afetadas por ele.
  • Obter aprovação, conforme necessário, da alta administração, de um parlamento ou órgão legislativo, de um órgão regulador ou de outra entidade governamental anfitriã.
  • Uma vez aprovado e assinado, continuar monitorando o mercado à medida que o mesmo evolui, bem como o valor do ativo. Especificamente, é essencial criar uma estratégia para esse processo e realizar uma avaliação ”mark to market” que é uma avaliação realista da situação financeira, com base no valor dos ativos e passivos à medida que os preços evoluem.

Riscos dos PPA

Em qualquer contrato, há um certo grau de risco. Mesmo com os PPAs que existem desde a década de 80, há riscos que as partes envolvidas precisam planejar e estar cientes. Noah Lerner, do Fórum de Financiamento de Energia Limpa, discute alguns desses riscos, bem como a base, a forma e os riscos operacionais em seu artigo de 2020, “Navegando pelo Risco: Um Guia para PPA Corporativo“.

Um risco adicional e considerável para a estruturação de PPAs é a moeda sob a qual o contrato é feito. Um artigo da Greentech Media afirma que existem vários riscos cambiais que os envolvidos em um PPA precisam estar cientes, incluindo desvalorização da moeda local, disponibilidade de financiamento e conversibilidade (ou seja, conversão da moeda local para dólares americanos ou outra moeda forte).

A conversão para uma moeda que reflita o fluxo de caixa da empresa é uma forma de ajudar a diminuir esses riscos. Um exemplo de utilização de financiamento internacional mais competitivo em dólar foi o recente PPA de 15 anos da Atlas Renewable Energy com a Dow para a usina de Jacaranda – projeto solar multimegawatt no Brasil com um cliente que exporta sua produção, portanto, recebe fluxos de caixa em dólares. O contrato foi garantido com financiamento em dólares americanos (67 milhões de dólares, para ser exato). Como resultado, o projeto pode cumprir suas metas de obter energia limpa 24 horas por dia (graças a uma característica comercial adicional que permite ao cliente receber energia elétrica 24 horas por dia) para suas operações comerciais, além de se beneficiar de uma maior certeza de preço.

Durante tempos voláteis, os PPAs devem evoluir

A volatilidade existe no mundo agora mais do que nunca, e pode ter efeitos de longo alcance. Os preços da eletricidade parecem mudar diariamente. E para regiões como a América Latina, a flutuação do valor da moeda está dificultando o financiamento de projetos de energia renovável no nível contratual. Agora, pode parecer que os riscos são abundantes, mas mesmo em tempos altamente incertos, existem soluções.

O essencial é que os PPAs forneçam valor. Esses acordos estão na vanguarda da implantação de energia renovável em todo o mundo. No entanto, para isso, eles devem ser estruturados da maneira correta para que todas as partes tenham a certeza do preço e o melhor resultado financeiro de que precisam no longo prazo.

Mas, como tudo, os PPAs devem evoluir — à medida que as condições e as moedas mudam, surgem tecnologias e novas opções de compra ou contratação. Enquanto o setor de energia renovável continua crescendo, os preços relacionados a ele podem variar, tornando-se mais complexos. Como resultado, os PPAs devem se adaptar estrategicamente a essas condições em constante mudança para não apenas continuar a servir os proprietários e investidores, mas também ajudar o mundo a fazer a transição para um futuro de energia limpa (e financeiramente viável).

Em parceria com a Castleberry Media, estamos comprometidos em cuidar do nosso planeta, portanto, esse conteúdo é responsável com o meio ambiente.

This site is registered on wpml.org as a development site. Switch to a production site key to remove this banner.